O prisioneiro

Image
 
Respira, mesmo estando do lado de dentro
daquelas grades grossas,
mesmo estando longe de casa,
mesmo que desejos pecadores 
atravessem o seu íntimo.
E continua a respirar,
doendo-lhe mais e mais
o buraco que traz no peito.
Deseja que tudo dentro dele arrebente,
que tudo dentre dele estilhace,
que o que saia dele é o que sente
e não aquele sangue infinito.
As grades,
já fazem parte da paisagem
que vê da sua janela.
Fazem também parte dele,
pois aquelas grades são para ele
como o seu corpo é para a sua alma
(ou o que dela resta). 
Para o prisioneiro,
o seu próprio corpo é a sua prisão.
Porque não pode a sua alma
abandonar o seu corpo,
e voar com o vento?
 
MatildeFrade
 
Advertisements